Bloodah! It´s not funny...

{ quarta-feira, 30 de junho de 2010 }


Esse vídeo é fofo. Se você também quis ficar imitando o menino por um bom tempo, 'tamo junto'. Bloodah!

Hoje...

{ terça-feira, 29 de junho de 2010 }

Saudade do tempo que eu era criança. Que a qualquer machucado no dedo eu corria pro colo da minha mãe e ela dizia que tudo ia ficar bem e um band-aid curava aquele terremoto.
Saudade de quando meu pai me provou que podia vencer meus medos, me guiando em minhas primeiras pedaladas de bicicleta.
Saudade de quando meu irmão mais velho me abraçava no escuro dizendo que estaria protegida do monstro, que ele iria me salvar.
Com a idade, muitos machucados não saram com o carinho de um sopro, muitos medos não somem se eu fechar os olhos e muitos monstros ainda me perseguem, até no claro.
Hoje, a vida me deu a oportunidade de aprender com o tombo doído. Me mostrou que é saudável sentir medo, desde que ele não te puxe de um sonho. E me provou que posso lutar com os monstros. E vencer.

Menos, bem menos!

{ segunda-feira, 28 de junho de 2010 }

Mulher quando pega pra ser boba em relacionamento não faz economia. Sábado cheguei por volta da 1h da madrugada e, sem sono, entrei na Internet pra driblar um pouco aquela insônia de final de semana que surge quando você sabe que não tem a obrigação de acordar cedo no dia seguinte.
No MSN, pouca gente online, mas duas pessoas se destacaram pela originalidade e merecem aqui o meu relato.

Fulana X – Muuuuuuuito feliz! Solteira sim, sozinha nunca.
Prova cabal de que se está na fossa é gritar aos quatro cantos que se está feliz. Ainda mais, feliz solteira e passando de mão em mão! E, pra finalizar, feliz num sábado à noite em casa e sim, provavelmente sozinha.

Fulana Y – “Eu quero mais é beijar na boca e ser feliz daqui pra frente, pra sempre”
Sem mistérios. Essa terminou com o bofe e está só esperando ele voltar da balada pra ler o nick dela e, assim, ficar morrendo de ciúmes. A certa altura, ele já vai estar bêbado e ter catado pelo menos umas duas enquanto ela está em casa ouvindo Cláudia Leitte.

Calcinhas, menos, né! Ao invés de divulgar sua fossa e promover vergonha alheia pública para os seus 215 amigos online, coloque um salto 10, escove a juba e jogue a purpurina. Parta para a noite como se aquela fosse a última. E, de preferência, não deixe rastros no MSN.

Eles têm que ter cara de mau

{ domingo, 27 de junho de 2010 }
Conversa de boteco é uma coisa produtiva. Estava fazendo uma análise outro dia com as amigas e chegamos a um consenso: homens com cara de mau são os mais sexys. É incrível como um nariz grande, um olhar perdido e uma barba por fazer têm efeito sobre as mulheres.
E nada de homem que anda todo engomadinho. A gente não gosta daqueles que combinam o cinto caramelo com o sapato de bico quadrado. Não! Uma calça jeans e uma camiseta branca estão de bom tamanho para o pretê.
O cara definitivamente não precisa ser bonito, não precisa ter cabelo e pode até ter uma leve barriguinha, desde que não tire os fiozinhos da sobrancelha que se acumulam em cima do nariz. E nada, repito, nada de colar de bolinha, pelo amor de Santo Antônio. A gente gosta dos brutos.
Porém, um adendo: coçar o saco e arrotar alto são coisas broxantes. Ainda sonhamos que dentro dessa carcaça rústica, exista um sujeito nobre cheio de amor pra dar. Só pra nós, claro.

Alguns exemplares de homens que mereceriam o meu assovio:


Javier Bardem


Benício del Toro


Russell Crowe


Hugh Jackman










David Duchovny

Você tem Orkut?

{ sábado, 26 de junho de 2010 }

Minha irmã é maravilhosa e sair com ela é uma das melhores coisas do mundo. Mas pode se transformar num pesadelo se qualquer coisa que ela vir, venha a se tornar engraçado. Sabe aquelas pessoas que têm acesso de riso ao avistar um ônibus lotado onde está todo mundo ‘andando sentado’? Pois é.
Como já disse aqui, sou para-raio de loucos de todas as espécies. Um atrativo ambulante da insanidade. Por isso, a tensão aumenta quando me imagino abordada por algum recém-fugido do manicômio quando estou com ela.
Outro dia estávamos no Shopping e um desses me avistou e veio. Sem dó nem piedade. Nem a pastinha executiva que carregava na mão disfarçava que faltava algum parafuso ali naquela cabecinha.
‘Você tem Orkut?’ foi a frase de reconhecimento disparada a mim. E pelo tom sensual, percebi que era paquera pura. Eu não olhava pros lados com medo do impacto da frase na expressão da minha irmã. Mas foi inevitável. Ali, eu já percebia que ela fazia os barulhinhos típicos de quem quer soltar uma gargalhada. E todo mundo olhando. E eu com medo, muito medo.
O pânico vem quando sei que não vai ficar só na risadinha discreta. Eu sabia exatamente o que iria acontecer: ela queria ficar olhando o desenrolar da conversa para rir mais e mais e mais, sem se preocupar com os espectadores. E eu não iria conseguir disfarçar minha vontade de dar risada também, que, aliás, é tão contagiante como a conjuntivite.
Implorei com os olhos para ela dar uma volta e consegui avistá-la chorando escorada numa vitrine, enquanto os vendedores, sem entender que se tratava de uma crise de riso, se compadeciam de sua situação lastimável. Enfim, pude encerrar a conversa: ‘Não, não tenho Orkut’.

Minha vitrola é toda dedicada a você, Jim!

{ }

O início, o meio e...sem fim

{ }

Sem filosofias. O mundo hoje pode caber dentro de seu notebook. Diante desse cenário tão tecnológico, creio que demorei para criar meu primeiro Blog. Mas agora, esta pessoa que fala pelos cotovelos teve enfim que buscar novas alternativas para ser ouvida – ou lida. E agora, posso dizer que falo também pelos mouses e teclados.
Sou para-raio de loucos e um desastre ambulante quando o assunto é dar foras e tropeçar em frente a um bar lotado, por exemplo e percebi que eu não sou a única que atrai conversas estranhas na fila do banco e que tenho companheiros próximos também discípulos da distração e do constrangimento contínuo.
Mas também, me considero uma pessoa de sorte. Oportunidades mil caem no meu colo todos os dias e pessoas cada vez mais interessantes entram em minha vida, sempre com vivências admiráveis.
“Calma, eu tenho um Plano!” será minha forma de compartilhar com vocês todas as aventuras e desventuras que a vida oferece.

Sejam bem-vindos!