Você tem Orkut?

{ sábado, 26 de junho de 2010 }

Minha irmã é maravilhosa e sair com ela é uma das melhores coisas do mundo. Mas pode se transformar num pesadelo se qualquer coisa que ela vir, venha a se tornar engraçado. Sabe aquelas pessoas que têm acesso de riso ao avistar um ônibus lotado onde está todo mundo ‘andando sentado’? Pois é.
Como já disse aqui, sou para-raio de loucos de todas as espécies. Um atrativo ambulante da insanidade. Por isso, a tensão aumenta quando me imagino abordada por algum recém-fugido do manicômio quando estou com ela.
Outro dia estávamos no Shopping e um desses me avistou e veio. Sem dó nem piedade. Nem a pastinha executiva que carregava na mão disfarçava que faltava algum parafuso ali naquela cabecinha.
‘Você tem Orkut?’ foi a frase de reconhecimento disparada a mim. E pelo tom sensual, percebi que era paquera pura. Eu não olhava pros lados com medo do impacto da frase na expressão da minha irmã. Mas foi inevitável. Ali, eu já percebia que ela fazia os barulhinhos típicos de quem quer soltar uma gargalhada. E todo mundo olhando. E eu com medo, muito medo.
O pânico vem quando sei que não vai ficar só na risadinha discreta. Eu sabia exatamente o que iria acontecer: ela queria ficar olhando o desenrolar da conversa para rir mais e mais e mais, sem se preocupar com os espectadores. E eu não iria conseguir disfarçar minha vontade de dar risada também, que, aliás, é tão contagiante como a conjuntivite.
Implorei com os olhos para ela dar uma volta e consegui avistá-la chorando escorada numa vitrine, enquanto os vendedores, sem entender que se tratava de uma crise de riso, se compadeciam de sua situação lastimável. Enfim, pude encerrar a conversa: ‘Não, não tenho Orkut’.

2 palpites:

RenataBV disse...

eu tô até vendo a Cris se sacudindo toda, e vc já chorando.
ô duas!

Lívia Komar disse...

Ê Rê, vc conhece bem a peça, né...rs!

Postar um comentário