Transitando [e se estressando] em Ribeirão

{ quarta-feira, 22 de setembro de 2010 }
O trânsito de Ribeirão Preto é uma roça, com direito a vacas, cornudos, galinhas e, porque não, carroças? Ou você nunca teve que desviar de uma na Presidente Vargas? Eu, por exemplo, já quase apanhei de uma carroceira que queria passar por uma fresta ao meu lado e, só Deus sabe como, ficou esmurrando com toda a finesse o teto do meu carro. Cadê a buzina, mano?
Separei aqui alguns itens irritantes e peço para que façamos todos uma corrente de pensamentos positivos em prol de um trânsito mais seguro e inteligente.



Motorista mole: Esse é um dos folgados que mais me estressam FOREVER. Será que é tão difícil, meu Santo Expedito, fazer as coisas de uma maneira rápida e eficiente, sem atrapalhar a vida alheia? Vejo o cara com o cotovelão pra fora do carro transitando pela direita a 30km/h naquela avenida mega movimentada e desfilando com aquela montanha de pança da mulher dele ao lado, e quando você dá uma luzinha alta na lomba do figura ele simplesmente não entende o motivo e te manda passar por cima. E te chama de vaca.

Seta opcional: E aí você tá transitando atrás daquele folgado que enfiou a seta sabe-se lá onde. Ele freia em cima da hora e o mundo que se exploda. Ou então, você está ali, naquele cruzamento chato esperando só aquele carro para poder atravessar a rua. E ele, de repente vira, sem te avisar, te deixando no vácuo. Tá vendo o que dá confiar em qualquer um?

Motoqueiros sem amor à vida: Às seis horas da tarde na Francisco Junqueira, se você quiser mudar de faixa, esqueça. Ou então olhe para todos os lados, para cima e para baixo e confira com atenção se nenhum deles irá se materializar em alta velocidade, buzinando para te alertar o quão difícil será você sair daquele tormento. Ou então você para na faixa da direita e avisa com sua seta que virará ali. Aí ele encosta sua moto naquela frestinha q sobrou [motoqueiro a-do-ra uma fresta] à direita e quando o sinal abre, ele então percebe que tem que dar partida de novo. Foda-se o resto do mundo.

Jogar lixo pra fora do carro: Sabia que isso é proibido? Você já viu algum guarda multando alguém que jogou lixo pela janela? Bom, depois vem a enchente, leva o fogão de todo mundo embora e aí Deus que é ruim, neah?

Estacionar na vaga alheia: Já dediquei um post inteiro aqui sobre isso. Então vou resumir: vai roubar a vaga da senhora sua mãe, seu @#$%!

Fila Indiana: Quem foi que falou pra essas antas que no semáforo se para no meio da rua? O cara ainda não conseguiu se decidir se vai reto, pra direita ou pra esquerda então ele se garante ali num local neutro, é isso? Aí, o próximo que chega também não se decidiu e estaciona atrás. E o seguinte idem. E quando o sinal abre, onde poderiam ter saído quatro carros, só três conseguem passar. E você fica lá, com cara de paisagem. É de uma solidariedade sem tamanho, né não?

Amiguinho que estaciona no meio da rua para conversar com o outro amiguinho que está sentado na mesa do bar: Puta de la mierda de la cagañera. Além de você ficar ali, empacado e à mercê de um babaca, ainda tem que ouvir aquele axézão que ele colocou no toco pra chamar a atenção das mina. É demais pra minha paciência. E se você reclama, o mané ainda te manda ir lavar roupa, afinal, pra esses ogros, é típico achar que nós mulheres é que fazemos cagada no trânsito.

Avançar no sinal quando ainda tem gente atravessando na faixa: Pressa é uma coisa, irresponsabilidade é outra. Aí, a velhinha que tá lá, atravesando a rua com todo o cuidado tem que dar um jump violento porque o bonitão não pode esperar dois segundos. Ela tá na faixa de pedestres, cara! É bem típico de gente que só pensa no próprio umbigo.

Tudo bem que não sou parâmetro, já que não sou o ser mais tolerante do mundo, mas algumas atitudes das pessoas tiram ou não tiram qualquer um do sério, gentem? Civilidade tem que fazer parte de todas as nossas ações, inclusive no trânsito. Custa seguir bonitinho as regras? Custa ser gentil e deixar o colega que tá saindo de uma garagem entrar na sua frente? Custa andar pela direita já que você é uma lesma?

Pros lindos e lindas adeptos da folga sobre quatro rodas, o meu recado: vamos fazer um intensivão em Sampa, tchurme? Ou então me mudo pra Noruega.

7 palpites:

Shirley disse...

Eu nem acredito que vc escreveu esse texto, outro dia estou eu dirigindo eis que uma moto cruza a minha frente, quase atropelo, mas ai freei e buzinei o motoqueiro começa a me xingar, quando vi já estava toda esquentada e comecei a xingá-lo também, foi uma cena horrível, falta de respeito, educação, pai eterno não tem como ser uma pessoa equilibrada nesse trânsito de Ribeirão. E seta? magina, acho que alguns motoristas nem sabe onde liga a seta, viram na nossa frente e vc que se vire.
Como diz minha mãe: No trânsito de ribeirão vc tem que dirigir por vc e pelos outros...

Bordunga disse...

Olá querida,

sumi pq peguei muuuuito freela e quase que não dei conta, mas não posso reclamar, pq graças a Deus está tudo caminhando e pra frente, o que é mais importante.

Olha, em relação ao seu texto, querida, eu reclamava do trânsito de Ribeirão, mas aqui em Brasília o povo não tem nenhum resquício sequer de polimento no trânsito, parece que vai todo mundo tirar o pai da forca... É um tal de podar pelos lados, que meu senhor... Poderia fazer uma listinha como a sua, viu?

Beijo enooooorme no seu coração. Acho que agora estou de volta... hehehehe

Maria Fernanda Ribeiro disse...

O trânsito de Ribeirão é caótico e cheio de caipiras dirigindo. Mas ainda acho que quem mais sofre é o pedestre porque esse monte de playboy que só anda de carro na vida não presta atenção em pedestre. Mas, não dá para deixar de citar, que essa é a única cidade que se autointitula "de grande porte" que não tem semáforo de pedestre nos principais cruzamentos, como na Independência com a Nove de Julho. Os velhinhos quase são atropelados constantemente. Um horror!

lu trevejo disse...

Livia, querida...
Sou suspeita em falar, amo essa cidade e tudo que tem por aqui. Foi aqui que me encontrei, foi pra Ribeirão que fui raptada, então...até do trânsito eu gosto. Dia desses estava com minha mochilinha no centro da cidade, fomos no Strambi comprar material de artes, aquele calooor das 11:00, estacionei o carro e fomos a pé até a loja. Passou um carro pela poça d'água e nos deu um banho. Lilica gritou: -"Putz, que mal enducada! Nem parou pra pedir desculpas! Quase que eu atropecei ainda por cima!" E eu, agradeci pela refrescada que a moça nos proporcionou. Viver é isso: é procurar se divertir com tudo, o tempo todo.
Beijo na bunda!

RenataBV disse...

Ai Livia, eu como detesto essa cidade, começando pelo trânsito, estou mais propensa a ir pra outras paragens do que a entender porquecargas d'água o povo aqui é tão 'curto'.
Acredite se quiser, tenho habilitação há 29 anos e só bati uma vez, porque um imbecil ia entrando na rotatória Amim Calil (saindo da Via Norte) e qdo viu que vinha um carro lá perto da entrada da Costa e Silva, resolveu frear... vai que não cabem dois carros na rotatória? Aí a besta aqui que achou que o mané tinha ido, foi indo tb, sem olhar. Só amassei o pára-choques dele... grr...
Graças a Deus, fora a raiva que se passa, isso é tudo que eu tenho pra contar, rs.

RenataBV disse...

posso copiar esse textículo e colocar na net? Posso? Te dou créditos, rsrsrsrs

Lívia Komar disse...

Claro q pode, Rê!!!! Sem problemas. Assim vc ajuda a divulgar o bloguinho =)

Postar um comentário