Especial Dia das Crianças VI

{ terça-feira, 12 de outubro de 2010 }

E esse ruivinho digno de apertar muito a bochecha, alguém sabe quem é? É o estilista JP Trovó, um amigo querido e um arraso no que faz. Ele conta que, sua diversão favorita em infância era desenhar. Começou no papel, até que evoluiu para as paredes da casa, todas elas. A travessura virou profissão e hoje ele usa seus dons que desenvolveu nas paredes para criar carteiras lindíssimas para as mulheres mais antenadas.



Que bonitinha a Cris Paulino [ou Cris Pirulito], gentem! A Cris, estudante de Contabilidade e dona de um blog bem bacana, diz que, quando criança, adorava curtir suas bonecas em silêncio. "Era bem calma, hoje sou o oposto", brinca. Lindinha!



Quando a Paty Nogueira, minha amiga historiadora de longa data, me mandou essa foto, eu não acreditei! Ela é uma das pessoas que eu conheço que mais entende de música e pude perceber que a paixão é antiga. A Paty conta que adorava ouvir seus discos de vinil na vitrola, gostava de brincar de elástico e, junto com o irmão, planejava assaltos elaboradíssimos para surrupiarem na moita os bombons da mãe. Será que a Shirley sabia disso? Uma fofurinha, Paty!



Não é porque é meu irmão não, mas o Sérgio Komar, publicitário, era um cuti-cuti! O Sérgio sempre foi uma criança tranquila, mas virava o capeta quando se juntava na gangue dos meus outros irmãos, o Paulo e a Cristina e minha mãe, coitada, ganhou alguns cabelos brancos antes do 30 por conta da trupe. Sempre fanático por futebol [leia-se Parmera], ele gostava de brincar de jogo de botão e também de carrinhos. Ainda hoje tem essa paixão: coleciona times de futebol de mesa e miniatura de carros.



Meninos, babem! Essa é parte da coleção de carrinhos do Sérgio.


Essa delicinha aí em cima é a Denise Matos, da Revista Spot de Sertãozinho. A Denise tem uma história linda que faz questão que seja contada. Ela é filha de criação e é imensamente grata pela benção da adoção. A ligação com sua família é tão grande que ela conta ser parecida fisicamente com seus irmãos de coração. "Me considero uma pessoa de muita sorte. Tive uma família, uma base, estudos carinho e afeto, que é o mais importante". Quando pequena, já sabia que seria uma comunicadora. Sua brincadeira preferida era gravar suas entrevistas nas fitas K7 de músicas de sua mãe que, quando descobria, ficava de cabelo em pé. Show de bola, Dê!


*A brincadeira continua essa semana, gente! Ainda dá tempo! Mande sua foto pra liviakomar@yahoo.com.br

2 palpites:

Denise Matos disse...

Obrigada lindinha, amei a idéia. E que nunca deixemos de alimentar a criança que existe em nós.

jptrovo disse...

HAHAHA.. ai, linda..
AMEI.. rsrs.. estou rindo e relembrando da infância. VC é uma querida.
Bjs..
PS: AME, BRINQUE, CANTE, SORRIA E NUNCA perca a esperança e deixe de ser criança.

Postar um comentário