Especial Dia das Crianças VIII

{ quinta-feira, 14 de outubro de 2010 }
Pra quem acha que a jornalista Francine Micheli, do blog Mãe Já Acabei! e da assessoria Outras Palavras, ficou figura depois de adulta, muito se engana. Ela já era um barato [e muuuuito lindinha!] desde que ainda vestia conjuntinhos cor-de-rosa de veludo em festas de aniversário. O evento era da prima, a Carol, de laço rosa, mas como ela adorava causar, subiu no banquinho pra aparecer mais que a dona da festa. Quando criança, ela queria ser ufóloga e se correspondia por cartas com ufólogos de todo o Brasil. Era louca por Arquivo X e colecionava revistas e livros sobre morte por combustão instantânea, experiência quase-morte, e outros fenômenos parapsíquicos. "Mesmo assim, minha mãe sempre me amou muito!", garante. Também era fanática por Chaves e Chapolim e tinha nojo de pisar na areia da praia. Fez jornalismo por vocação e por não saber fazer contas. Arrasou, Fran!

Reparem: estilosa desde pequena [vejam a bolsa de lado], olhinhos amendoados, quem mais poderia ser? Essa gracinha aí de cima é a Gabriela Yamada, jornalista do Gazeta de RP e uma apaixonada por moda, tanto que criou um blog delicioso sobre o assunto. Taurina, ela afirma sempre ter sido mandona. A Gabi gostava de dirigir os teatros que fazia com os 10 primos. E também adorava bonecas como a Barbie, para poder criar modelitos style e fazer mil e um penteados. Linda, linda!

Esse craque aí em cima é o mini Daniel Cândido, jornalista da Multiplus. O Daniel disse que era bem levado, apaixonado por carro e futebol, gostava de bike, de vídeo-game e que, desde pequerrucho, sempre foi beeeem comunicativo. Foi pra área certa, Dani! Uma lindeza!

Ohhhhnnn gente! Essa coisa linda com chupeta e cabelos esvoaçantes é a jornalista Hélia Araújo, da Folha de São Paulo. Caçula de três e única mulher, a Hélia conta que era terrível e reza para que seus filhos não sejam tão encapetados quanto ela. Para se ter uma idéia, a Hélia tem três cicatrizes no queixo, trincou o braço duas vezes e já sofreu queimaduras de 3º grau por ter trombado com a mãe que segurava café quente. Fora as travessuras, a Hélia sempre foi um doce de menina, que gostava de fazer amizade com todo mundo. Adorava brincar de elefantinho colorido, taco, pega-pega, Barbie e tinha um cachorro de pelúcia com o qual dormiu até os 22 anos, quando este se desintegrou, enfim. Uma graça, né gente?

Essa coisa fofa aí em cima é o publicitário Danilo Chiaroti, do blog Naipes Flamejantes. Eu furtei a foto, então não sei qual era a brincadeira preferida dele. Mas vale pela belezinha de criança que ele era, né não?



E não poderia deixar de postar nessa Semana da Criança meus lindinhos papai e mamãe. Minha mãe Cida diz ter sido muito levada e perdeu as contas de quantas vezes ficou de castigo e quantas vezes teve que voltar ao castigo por aprontar durante o castigo. Ela gostava de brincar de boneca e de casinha, como quase todas as meninas. Meu pai Arteny foi arteiro ao cubo. Com 2 anos, pegou um ônibus sozinho e rodou a cidade, deixando minha avó desesperada. Sempre muito criativo, ele brincava de construir casas e túneis com
terra, tijolos e pneus no fundo do quintal. Os dois são filhos únicos [não tenho tia nem primos, sente o drama?] e ambos moraram na mesma rua, a dois quarteirões, em plena São Paulo e devem ter brincado muito na infância, mas não se recordam um do outro. Coisas do destino... Não eram fofos?


*Amiques, é isso aí! A-DO-REI fazer esses posts e dividir a história de amigos tão queridos. O Especial de Dia das Crianças fica por aqui mas ano que vem tem mais. Preparem suas fotenhas divertidas e simbora voltar naquele tempo bom em que nossa única preocupação era a nota da escola. Ou não, também.

4 palpites:

Gabriela Yamada disse...

Adorei! Obrigada, viu?
E desculpa o trabalho que te dei!
Posso dar uma sugestão? Vc podia fazer isso no Natal! Todo mundo tem uma foto com o Papai Noel ou perto de uma árvore toda natalina, não?
Fica a dica!
Beeijo!

Fran disse...

haha essa brincadeira ficou divertida né!?
=D

Dan disse...

Ahhhhh!
Eu não falei qual brincadeira eu gostava! Droga!
ahauhau, mas nessa época ai eu adorava era infernizar meu irmão mais velho e tentar andar de patins, aliás, essa foto foi cortada e eu estou de patins nela.
Adorei toda a série das crianças. Mandou bem querida.

bjo

lu trevejo disse...

Gente, delicioso ver essas fotos, da galera toda miúda!
Impagável!
Lívia, vc sempre saindo da mesmice, sempre superando as expectativas, né?
É esse o grande barato da internet: Assim como vemos blogs sonsos, com textos escritos por pessoas que tem cer-te-za que escrevem suuuper bem e no entanto não conseguimos ultrapassar a quinta linha sem sentir tédio, existem também pessoas como vc, com esse talento delicioso, com essa intimidade com as palavras...
Jura que nao para nunca?
Bj na bunda!

Postar um comentário