A morte do Polvo Paul

{ terça-feira, 26 de outubro de 2010 }

O Polvo Paul já não era mais o mesmo. Depois de tantos acertos na Copa, ele estava cansado de ser consultado para adivinhar tanta futilidade. Madames de todo o mundo gastavam fortunas para ir até o aquário Sea Life, de Oberhausen, Alemanha, importunar o molusco que apresentava sinais de fadiga após o trabalho exaustivo que lhe rendeu 100% de acertos nos resultados da África do Sul. Afinal, adivinhar as coisas com tamanha precisão é bastante desgastante...

- “Polvo Paul, dou ou não dou pra fulano? Ele é tão rico!”, perguntou uma loura e encalhada balzaquiana da alta sociedade.

- “Dê, minha filha, mas saiba que ele gosta da mesma fruta que você”, respondeu o Polvo, já com a glândula de tinta na lua.

- “Polvo Paul, fúcsia combina com turquesa?”

- “Só se você for do Restart, minha filha!”

- “Polvo Paul, Tarcísio Meira é mesmo um bom ator?”

- “É sim, minha filha. Ele finge muito bem que sabe atuar”, respondeu sem paciência aquele oráculo de oito tentáculos.

E esse era o dia-a-dia do Polvo que já adivinhou coisas melhores e estava descontente com o rumo que sua carreira tinha tomado. Ultimamente, ele andava bebendo muito e só queria saber de chucrutes e das revistas de polvas peladas.
Até que, numa segunda-feira de outubro, Paul, enfim, foi desafiado por um jornalista que o indagava sobre o rumo do planeta. O polvo percebera então que ali podia resgatar toda a paixão que sentia por seu trabalho, fazendo, enfim, alguma coisa de útil pela sociedade. Era a sua chance!
Muitas perguntas foram respondidas ao jornalista que anotava tudo com bastante entusiasmo. Falaram de armas nucleares, vulcões prestes a explodir, discutiram sobre políticas públicas, sustentabilidade, Bin Laden, fim do mundo. Foi um papo pra lá de aprofundado e animado e, antes que o jornalista se despedisse, lembrou do assunto do momento nas Américas: qual será o melhor governante para o Brasil, Serra ou Dilma?
A alegria do Polvo Paul em estar ajudando, deu lugar, então, a uma confusão mental sem precedentes. Paul tentava ali disfarçar seu desespero já que a resposta não brotou em sua mente como em todos esses anos de trabalho como vidente. Suas brânquias se contorceram. As redes de seus neurônios começaram a dar tilt. Seus oito braços formigavam. Inconscientemente, ele tingia o seu habitat de azul, como que se defendendo da questão. Tentar descobrir as coisas exigia muita energia e, naquele momento, ele sufocava, percebendo que morreria ali, sem conseguir responder àquela pergunta que, até hoje, foi a mais complexa de toda a sua carreira.
O cérebro do Polvo Paul fundiu, pifou assim como uma máquina própria para lavar 6 kg de roupa ser abarrotada com 20 kg de lençóis. E ele, então, caiu duro, dando adeus ao estrelato para virar uma mera refeição de camarões.

7 palpites:

Mayara disse...

Ele era um cara legal!
Vá em paz querido, Paul e saiba, que ninguém conseguiria responder esta pergunta também já que o jornalista não soube se expresar...
A pergunta não é 'quem vai ser o melhor governante' e sim o menos pior.

Shirley disse...

Para não assustar tanto o polvo tinha que ter perguntado igual a Mayara no comentário acima disse: quem será o menos pior? kkkkkk, mesmo assim coitado ia entrar em desespero.
Complicado, mas temos somente essas duas opções, embora depois de tudo que li e ouvi sou a favor do voto nulo.
Polvo Paul descanse em paz...

Anita disse...

Lívia, como eu me divirto toda vez q entro aqui!!!! Apesar, claro, da nossa eleição mais sem expressão da história!!!!!!
Ainda assim, prefiro a piada

Petit Gabi disse...

HAHAHA adorei! Pobre Paul!
Mas, hein... Ele respondeu coisas mais difíceis e morreu justo na hora de responder a mais fácil? Pra mim, está muito claro quem deve vencer essa eleição. hehehe
Me diverti com seu texto!

Beijos!

FERNANDO BATTISTETTI disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RenataBV disse...

Ai tadinho dele, né? Achava-o tão simpático (nunca contei a ele que o melhor prato que provei na minha vida foi um polvo defumado, no Mario's do RJ).

Tô com a Mayara tb: Se ojornalista tivesse perguntado "menos pior" ao invés de melhor...

Paul, RIP :(

Bordunga disse...

hahahahahhahahahahhahahha. Só vc mesmo!

Beijo enoooooorme, querida.

Postar um comentário