Ser ou estar triste; ser ou estar alegre.

{ quarta-feira, 22 de dezembro de 2010 }

Conheci uma senhora dias desses. Ela freqüenta o mesmo Centro Espírita que meus pais e passa por dificuldades diárias para cuidar da irmã que tem Síndrome de Down. Ela mora num quarto alugado nos fundos da casa de uma moça também bastante carente, sem TV, sem fogão nem geladeira e mata um leão por dia para comprar leite pra irmã, que ultimamente só aceita isso.
Fomos lá levar alguns mantimentos e roupas doados para ajudá-la momentaneamente. No caminho, cheguei a pensar com meus botões: “que pessoa desafortunada!”. Foi quando me deparei com sua garra e alegria de viver e continuar lutando, mesmo já numa idade avançada. E conclui que o desafortunado é aquele que já perdeu as esperanças em ser feliz.
Essa senhora está passando por momentos difíceis e sabe-se lá há quanto tempo sua vida é feita de perdas, carências e necessidades. Porém, lá estava ela, esboçando um sorriso, uma gratidão que veio do fundo de seu âmago, com palavras que levavam a crer serem proferidas por uma alma muito superior.
Para ela, cada vez que a irmã deficiente esboça um sorriso, é uma alegria. Cada vez que seu estômago aceita o leite, é uma conquista. Cada vez que obtém uma graça, é uma vitória, cheia de otimismos.
E me deparo, de repente, com lamúrias cotidianas e sem sentido algum que me deram vergonha de viver nesse planeta. Quem nunca reclamou de barriga cheia que atire a primeira pedra, não é mesmo?
Desejo que no ano que está chegando, todos possam ficar alegres. Infelizmente, um dia ou outro, alguns estarão tristes. Mas que todos SEJAM felizes, mesmo diante dos momentos de impotência. Porque a felicidade é um estado de espírito e não uma conseqüência do filme que é a nossa vida.

9 palpites:

Fernanda Marchioretto disse...

Exemplos assim nos faz mesmo repensar em todas as nossas queixas e dores, que não são lá tão doídas assim...
Muita alegria e felicidade também nos seus dias em 2011 flor, e em todos os outros anos que estão por vir!
Beijão!

Shirley disse...

Perfeito Livia, posso te dizer que já reclamei de barriga cheia humm deixo ver perdi as contas.
Pessoas iluminadas como essa senhora aparecem na nossa vida pra nos acordar e ver que temos tudo é só ir a luta...
Ameii, te desejo muitas felicidades em 2011 e um ano de muitas realizações...bjocas.

Thaís Felix de Oliveira disse...

Sei que sou uma pessoa feliz, mas como todos, tenho momentos tristes ;(

Abner Augusto Moreira disse...

É lendo um texto desse que a gente dá aquela olhadinha em volta e percebe que existe um mundão além do nosso umbigo.
Pessoas que precisam realmente de ajuda, pessoas que contam com outras pessoas para, simplesmente, sobreviverem.

Parabéns pelo super blog!
E que venha o próximo Encontro de Blogueios!
Beijoca!

Cris Paulino disse...

Somente passando por essas experiências no qual vc citou q faz a gente parar para pensar na vida com mais cuidado e paramos pra refletir q as vezes somos egoistas transformando os nossos problemas nos únicos do NOSSO universo!!!

Matheus Farizatto disse...

Sejamos FELIZES, Lívia! A começar por agora.

Adorei:
"desafortunado é aquele que já perdeu as esperanças em ser feliz".

Um beijão.
Um ótimo novo ano inteiro pra vc!

Fabi M. disse...

Pra refletir mesmo... Acho que qto mais simples, masi feliz... Beijos e feliz Ano Novo!

Fernando disse...

Muito bom!!!!Parabens pelo blog e por arrumar tempo de transmitir mensagens como essa!!!!

Marília disse...

Nos recomendaram o seu texto acho que porque conhecemos tão bem realidades como a que você descreve. Muitos de nós precisam da dor para valorizar pequenas coisas que , boas ou más, somadas, resultam em algo bem importante chamado vida. Alguns se revoltam, mas outros acabam se dando conta da grandeza do que parece tão estranho e pequeno. Seu sorriso de esperança nos dá a sensação de que precisamos de você e muito. Conheça o nosso trabalho no www.sindromedoamor.com.br. (amor@sindromedoamor.com.br)

Postar um comentário