Navegar é Preciso – Diário de Bordo

{ quinta-feira, 10 de março de 2011 }

Cinco dias se passaram desde que eu voltei do Cruzeiro que fiz no Mariner of The Seas e acho que já consegui absorver boa parte da magnitude da viagem e, por isso, chegou a hora de falar sobre ele.
Um cruzeiro? É bacana, e tal. Muito luxo, glamour e sedução, mas pra mim, foi bem mais do que entrar num navio e curtir tudo o que ele tinha para oferecer – e, diga-se de passagem, era coisa pra caramba. Foi sentir a liberdade aos meus pés e em minha mente. Foi sair da minha realidade e voltar para ela muito mais leve, com fantasmas do cotidiano jogados com âncora e tudo no meio do Atlântico por todo o percurso Santos-Rio-Salvador.



A imensidão do mar, num universo paralelo e flutuante, desperta sensações estranhas nas pessoas. Ouso afirmar até mesmo de imunidade, afinal, dizem que o que acontece num navio, fica no navio. Sugestivo, mas nem é preciso levar tão a sério o lema para perceber que o clima lá dentro é desoprimido, 24 horas por dia. Um brinde com tequila ao deus Netuno!
Assim que botei os pés no Mariner, me veio esse insight. Primeiro, fiquei chocada com a riqueza dos detalhes de cada deck, babando feito aquele menino que empina pipa no ventilador quando vai pra Disney em excursão com a Tia Augusta. Quatorze andares, uma bússola no bolso e um uau! ao avistar cada pedacinho ainda desconhecido... era meio que assim. O Mariner é o oitavo maior navio do mundo e não voltará tão cedo para o Brasil, ou seja, oportunidade rara em estar ali dentro.





Depois, aos poucos, fui compreendendo que aquele luxo me pertencia por sete dias e passei a me jogar ao máximo e com purpurina em cada sensação, passando pela culinária, que é de te fazer engordar quilos descontrolados sem sentir culpa, pelo tratamento de rainha em cada gesto simpático da tripulação que é muito fofa, indo até a delícia que é conhecer pessoas novas, de outros estados e até mesmo países, todos confinados no gingado de valsa do navio [sim, porque prestenção, é um passinho pro lado de cá, outro pro lado de lá e bem-vinda, maldita labirintite!] e vivendo em sociedade, buscando a interação num cenário comum a mais de quatro mil pessoas, entre passageiros e tripulantes.
Certas situações intimistas ficarão para sempre na memória, como o pôr do sol mágico no deck da piscina que tingiu cores no céu que só podem ser apreciadas por quem está disposto a enxergá-las com o coração. Hora de reflexão, ao som de Ana Carolina, minha musa nacional do momento. Hora também de conhecer gente legal, na mesma vibe. Outras ocasiões também me marcaram, como os lindos e poéticos nasceres do sol e o vento e seu zunido alucinante na proa do navio à noite, onde só se ouvia o mar e enxergava-se o nada. E o nada ali era bem-vindo.





A vida ali dentro te dá chances de pensar muito, mas também de curtir cada segundo como se fosse o último. Rata de praia e de sol, um dos pontos que mais amei e não largava nem pela apresentação de patinação no gelo com dançarinos lindos e super renomados, era o deck da piscina onde bebíamos Coronas geladíssimas e ficávamos embolorando nas jacuzzis no fim da tarde (tá meobeim?). Meu, só de lembrar daquele céu e daquele mar azul da Bahia, me pergunto porque não me amarrei no convés com nó de marinheiro pra poder curtir mais alguns dias...









À noite, íamos para um esquenta antes da boate no pub Wig & Gavel na Promenade, “avenida” principal do navio, palco da nossa amizade com um grupo de eslavos gente boa que me apeguei por a maioria ter sangue ucraniano, assim como eu. O brinde deles, que era “Linea”, virou “Líbia” por conta da insistência do grupo ribeirãopretano e, onde quer que eles nos vissem, faziam a saudação à La brasileira.



Estragamos uma coreografia no primeiro dia por acharmos que os passageiros também podiam participar da dança e arrasamos na descoordenação. Peguei no sono na sacada fria aguardando o nascer do sol e acordei mais rouca que a Elza Soares. Dormi no máximo 10 horas – as seis noites. Bebi em dólar e quase tive que vender as córneas pra pagar a conta. Ganhei o apelido de perna oca por comer mais do que meu corpo de borboleta parecia aguentar e quase transformei meu fígado em sucata com as baladas do navio, principalmente aquela regada a champanhe, com ótimas companhias, depois de um dia inteiro de um sol escaldante, cerveja e caipirinha. Segura na mão de Iemanjá!



A viagem foi minha e guardo dela o que bem entender. Mas tenho que agradecer a quem participou disso tudo, tornando-a tão fantástica e memorável: meus queridos amigos Maroca, Lélia e Vic, que foram mais que companheiros e dividiram a cabine, as histórias e as gargalhadas em vários idiomas comigo, e os novos queridos que ganhei por tabela no cruzeiro e que estamos estreitando a amizade graças à Santa Tecnologia dos Babados Abafados, que atende pelo nome de Facebook, Nextel ou MSN.
No entanto, principalmente, tenho que reverenciar o céu, o mar, o vento, a lua e o sol, que colaboraram para que cada sensação fosse única e tão especial.

Um brinde a tudo isso: LÍÍÍÍBIA!

16 palpites:

Dan disse...

que delícia!
tomara que o balanço do mar tenha trazido muita energia pra 2011.
bjo Livetz!

ah, adorei a ultima foto.
eheheh
:)

Fabiola Medeiros disse...

Primeiraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
Adoreeeeeeeeeeeeeeei o que vi e o que li!
É tão bom ver as pessoas que a gnt gosta assim... felizes!
bjo

Fabiola Medeiros disse...

que ódeoooooooooo!
vou tirar umas satisfações com este(esta) DAN grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

paulinhops disse...

td como vc...belas palavras,lugares,pessoas,paisagens,emoções,companhias,etc...como vc disse,1 oportunidade impar...q dev ter cido merecido,né?!? rs
Grande bj e súúúúúúúúúcééééééssuuuuuuuuu!~_o

Shirley disse...

Nossa viajei lendo o seu texto, realmente deve ser um máximo fazer o cruzeiro, conhecer pessoas de todos os lugares do mundo e ter um contato tão intenso com o mar, amo o mar, aliás, sol, mar, calor tem tudo a ver comigo...Veja que começou o ano com o pé direito, que continue assim, bjocas.

fabiana disse...

to pra dizer que o que amei foi o paragrafo da ana carolina!!!!!!!!!!!!!!!!!!! AMO saber q quem eu AMO, AMA quem eu AMO
só fiquei p. que vc esqueceu do Bi News que te deixar à par de tudo neeee
Faaaaaaaaaaaa Gorayeb

Lívia Komar disse...

Biiii, seu Bi News me fazia sorrir todos os dias. E o seu Ipod tbm! AMO MAIS QUE A PROA.
=)

Anônimo disse...

sem comentários!! simplesmente, AMEI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
bateu mtas saudades!!!!
Bjo linda!
Marluce

CHRISTIANE disse...

Que delícia !!!
A gente sente tudo junto quando lê... népurnadanão, mas acabei de roubar um tantin da sua viagem!!! rrsrsrs
Beijos amada.

alexia disse...

Amei o texto , cheguei a ficar com lágrimas nos olhos...e olha que já tinha ouvido algumas das histórias pessoalmente.....mas colocada aqui, ....dessa forma , ficou melhor ainda!!
Parabéns amiga, mas um lindo texto!!!! Eu já te disse......

SHIRLEY disse...

EU TAMBEM ME SENTIR ASSIM,NA MAIOR LIBERTADE E EM PAZ COMIGO E COM O MUNDO
ALIAS ACHO QUE TDS AS PESSOAS QUE DISSEM NÃO ACREDITAR EM DEUS (EL ALGO MAIOR DO QUE TD)
DEVIA PASSAR UNS DIAS EM ALTO MAR,PRA VER ESTA BELEZA SEM IGUAL,O TANTO QUE SOMOS PEQUENOS E AO MESMO TEMPO GRANDES NESTE MUNDO MARAVILHOSO
UM BJAO

Renata disse...

aH... O MAR! Ele exerce um pode sobre as pessoas, mas quando se está sobre ele, é nosso o PODER!

Libiaaaaaaaaaaa!

Luciana Stabile disse...

Eita Livinha que sabe aproveitar as coisas boas da vida!
Isso mesmo, gata, tem que se jogar!

Sabe que eu tenho uma vontade imensa de um tour com cruzeiro, mas a grana fala mais alto. A falta dela, né...rs

Vc merece, viu?
SUA LINDA!

Bordunga disse...

Querida, muito obrigada pelos parabéns e pelo carinho! Vc é muito muito fofa!

Ah, ainda quero fazer um cruzeiro. Mesmo morrendo de medo de enjoar todos os dias!

Sua foto meio Titanic ficou ótima, megalibertadora... rs. Precisarei de uma dessas!

Cris Paulino disse...

Lívia, eu acredito que você realmente precisava dessa viagem. Extravasar! Soltar as energias, ficar rouca e dormi pouco. Desgastar até o último, para levantar com tudo!! Veio na minha mente uma frase que eu costumo dizer de vez enquando "Pois quando sou fraco, então é que sou forte". E você mostra muita fortaleza, um brilho inconfundível. Seu sorriso e sua alegria de criança é transparente nas fotos!! E você conseguiu trazer para Ribeirão e por estas palavras a energia boa da viagem!! Sucesso!!

★★ GIZA ★★ disse...

OLA.
GOSTEI BASTANTE DO SEU BLOG E VOU SEGUIR COM CERTEZA.
GOSTARIA MUITO QUE ME VISITASSE E SEGUISSE:
WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
BEIJOS

Postar um comentário